Um novo Jardim surgirá – novos passos para a conversão de posses em propriedades

CONVIDAMOS

as senhoras e senhores moradores e comerciantes estabelecidos nas ruas Angelim Milanês, Timor Leste, Rubens Nunes Campos, Lusitano, Lírio do Vale e Altino Elias para uma reunião com os proprietários legítimos desta gleba, a fim de debaterem os termos de um Acordo Amigo e as ações necessárias para converter a posse dos terrenos que ocupam em propriedade legal.

Compreendendo a importância do assunto, o Pastor Ivanildo nos cederá, generosamente, para a reunião, o salão da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, à rua Angelim Milanês No. 457, às 14 horas do sábado dia 11 de março.

Venham e apresentem suas ideias também pelo www.pajuamigo.com ou pelo WhatsApp (peça sua inclusão em nosso Grupo pelo telefone 98703-1397 – Willians).

Grupo Pajussara

Prosseguem os Entendimentos para a Conversão de Posses em Propriedades

Constituído informalmente por possuidores de parcelas do Quinhão D, o Grupo Pajussara está promovendo reuniões com os proprietários legais desta gleba, com o objetivo de regularizar a sua urbanização e converter a posse das parcelas de terreno que ocupam em propriedades legítimas, registradas em seus nomes no Cartório de Registro de Imóveis!

Contando com a compreensão e muita colaboração do Pastor Ivanildo, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, o Grupo reunirá uma quantidade expressiva dos  possuidores de parcelas de terreno – situadas nas ruas Angelim Milanês, Rubens Nunes Campos, Estrada do Lusitano, Lírio do Vale,Timor Leste e Altino Elias – e os proprietários atuais do Quinhão D do Núcleo Pajussara, conforme o Convite reproduzido acima, distribuído na região.

O Grupo avisa que nada impede a participação dos possuidores de parcelas de toda a gleba, aos quais estendem o convite, ressaltando que outra reunião será realizada, com o mesmo objetivo, em local mais próximo de suas casas.

A regularização desse Quinhão D, já urbanizado mas ainda sem nome reconhecido oficialmente  – que adota os nomes controversos de Jardim Hélida ou Jardim Lusitano, como já foi comentado pelo pajuamigo em edições anteriores – será uma empreitada muito  importante da Comunidade que nele vive, junto com a Prefeitura e o apoio dos proprietários, que admitem a transferência de suas propriedades aos possuidores que assumirem suas responsabilidades fiscais com o Município e indenizarem os seus custos  decorrentes da ocupação ilegal.

Os valores dessa indenização e a forma de pagamento (que deve ser suave e a longo prazo)  deverão ser discutidos com os possuidores, o que ressalta a importância das reuniões que o Grupo está promovendo. O montante total será rateado entre os que desejarem o acordo amigável a ser feito, por isto o maior número possível de adesões reduzirá o valor do rateio para cada um.

Certamente, haverá gastos para cumprir as diversas formalidades exigidas para ser obtida a regularização e o registro dos imóveis, mas o apoio da Prefeitura reduzirá em muito esses gastos, e não há dúvida de que a Prefeitura estará ao lado da Comunidade e que também será fortemente beneficiada com a regularização de área tão importante!

Loading

Por que PajuAmigo?

Parodiando o convite afetuoso para um caju amigo, convidamos a comunidade do Pajussara para um papo fraternal, neste PajuAmigo, ampliando o convite para toda Mauá, Ribeirão Pires e vizinhos do ABC Paulista. Pajussara é o nome original de um núcleo da enorme Fazenda Bocaina, desdobrado em quatro quinhões, dos quais resta um “patinho feio” a ser regularizado para transformar-se em belo Jardim, desde que unam esforços a Comunidade, Autoridades e proprietários envolvidos. Com a lembrança histórica no nome, PajuAmigo pretende fomentar tais esforços.

SEÇÕES

NEWSLETTER

COMENTÁRIOS